segunda-feira, 18 de julho de 2011

Pré-silábicos, um pouquinho sobre eles.






Nosso blog tem o obejtivo de relatar algumas experiências para auxiliar no fazer pedagógico, mas também fundamentar/teorizar essas ações, pois estamos cientes que " ... de nada serve instrumentar professores para uma certa prática quando eles não estão senhores da teoria que a embasa"





"Quando alguém se alfabetiza, percorre uma longa trajetória à qual é dado o nome de psicogênese da alfabetização. Esta psicogênese se caracteriza por uma sequência de níveis de concepção sobre a leitura e escrita." ( pág. 51);



Então... vamos começar pelos pré-silábicos.



Lendo "Didática dos níveis pré-silábicos" de Esther Grossi, podemos compreender e refletir sobre os nossos alunos que encontram-se na hipótese pré-silábica. Pontuo aqui alguns trechos pertinentes.

- "Quando alguém se alfabetiza, percorre uma longa trajetória à qual é dado o nome de psicogênese da alfabetização. Esta psicogênese se caracteriza por uma sequência de níveis de concepção sobre a leitura e escrita." ( pág. 51);


- "a caracterização de cada nível não é estanque e perfeitamente defenida, porque há noções que se formam simultaneamente sem filiação entre elas e há problemas que perpassam vários níveis" (pág. 59)



- No estágio pré-silábico a criança ainda não estabelece uma relação necessária entre a linguagem falada e as diferentes formas de sua representação, acreditando que "se escreve com desenhos" (tese da escrita figurativa)"(pág. 36);


- "Quando alguém se alfabetiza, percorre uma longa trajetória à qual é dado o nome de psicogênese da alfabetização. Esta psicogênese se caracteriza por uma sequência de níveis de concepção sobre a leitura e escrita." ( pág. 51);




- " há dois níveis pré-silábicos, denominados PS1, ( pré-silábico 1) e PS2 (pré-silábico 2). Isto porque o início do processo de alfabetização tem dois patamares bem nítidos - um no qual os sujeitos julgam que se escreve com desenhos, isto é, a grafia deve conter os traços figurativos daquilo que se escreve - e outro, no qual se usam sinais gráficos, abandonando-se no traçado aspectos figurativos do que se quer escrever. " (pág. 41);



- Para o PS1 "escrever é desenhar e ler é interpretar imagens ou figuras. Escreve-se árvore fazendo um desenho que tenha aspecto de árvore. Só lê em figuras, fotos e imagens, impossivel em pura letra. As letras são objetos que não têm a ver necessariamente com a produção de escritas. Portanto, os métodos convencionais que começam com palavras escritas ou mesmo com letras isoladas não lhe fazem nenhum sentido. São incapazes de compreender o que está sendo proposto." (pág. 54)



- Para o PS2 "letras podem estar associadas a palavras inteiras, portanto representam um ente global, por exemplo, quando dizem à "minha letra", isto é, à letra do seu nome. Por outro lado, uma página inteira de letras pode corresponder a uma só palavra. Não há discriminação das unidades linguísticas e, sobretudo, há completa ausência de vinculação entre a pronúncia das partes de uma palavra ou de uma frase e sua escrita. Eles começam a se questionar sobre o significado dos sinais escritos, como se estabelece a correspondencia entre escrita e pensamento." " (...) está escrito o que eu desejei escrever, só se escrevem substantivos, letras ou sílabas não se repetem numa mesma palavra - isto não fica bem, só se lêem palavras com 3 ou mais letras, letra e numero são a mesma coisa, ou são sinais parecidos, a escrita de palavra não é estável, pode mudar, basta ter a inicial para caracterizar uma palavra e a ordem das letras nas palavras não é importante. Basta que estejam todas elas" (pág. 56)

Didática dos Níveis Pré-silábicos


"caracteriza-se pela criação de um ambiente rico de materiais de atos de leitura e de escrita... esse ambiente compreende muitos materiais escritos, bem como muitas oportunidades de assistir a atos de leitura e de escrita. Nessa experiência com materiais escritos não há seleção e ordenação de letras ou palavras para vivenciar. Muito ao contrário, as crianças tomam contacto com todas as letras e com qualquer palavra, simultaneamente. Como Emilia, alfabetizar-se é muito mais do que manejar a correspondência entre sons e letras ecritas." ( pág. 76)


" ... a correspondência entre sons e letras escritas não se apresenta no inicio desse processo. Nesse início, as crianças não vislumbram que a escrita tem a ver com a pronúncia das partes de cada palavra." (pág. 76)



Os pré-silábicos " fazem ideias muito interessantes e constroem hipóteses", por isso respeite esse processo e parta dele para continuar estimulando a alfabetização.

"crianças pré-silábicas não podem iniciar seu processo de alfabetização pelos métodos convencionais, os quais foram organizados para alunos já alfabéticos"(pág. 79)



"o aluno deve vivenciar, ao chegar à escola no mês de março, todas as letras, qualquer palavra e qualquer texto... devemos atacar intencionalemente as concepções que os alunos estão apresentando, causando-lhes conflito e propiciando, a partir dessa problematização, a passagem para o nível silábico." (pág. 80)



" ensinar as letras uma a uma para crianças que não as vivenciaram antes, é inútil. Além do mais, sabe-se que as crianças não começam pela distinção de letras isoladas. Elas as distinguem primeiramente na qualidade de iniciais de nomes de pessoas ou de palavras que lhes são muito significativas" (pág. 83)



Sugestão de atividades e materiais




  • Tesouro: uma caixa, envelope ou baú onde cada aluno tem escritos os nomes de pessoas, de animais ou de objetos que lhe são mais importantes. A professora dispõe de um certo tempo para que periodicamente cada aluno lhe fale das palavras que ele quer pôr no seu tesouro. As palavras mais significativas trabalhadas durante o projeto também podem ser anexadas ao tesouro atraves da escrita coletiva, para que as mesmas estejam ortograficamente corretas. É aconselhável que a letra inicial da palavra esteja destacada e que ao lado haja espaço para que a criança represente, com desenhos, a mesma. Esse tesouro poderá ser consultado ou manuseado pela criança nos momentos livres, com permissão da docente, ou em situações dirigidas em que será solicitado que separem as palavras que se iniciam pela mesma letra, ou a letra final; que agrupem as palavras que possuem a mesma quantidade de letras e etc. Essas palavras também poderão ser exploradas em tabuleiros alfabéticos feitos em cartolina grande... e tantas outras intervenções.



  • Alfabeto - móvel: é inaceitável uma turma de 1° ano sem a presença de alfabetos móveis. De preferência, assim como o Tesouro, cada aluno deve ter um potinho com as letras so alfabeto. 3 vezes todas as letras do alfabeto e 5 vezes as vogais. Esse material será utilizado para reconhecer e identificar letras, brincar de construir palavras, encontrar e ordenar as letras de uma palavra escrita na quadro-negro, escritas espontaneas - MUITAS ESCRITAS ESPONTANEAS - com reescrita e escritas coletivas. Entre outras atividades.


  • Caixotes: quatro caixotes. Um para livros (literários, enciclopédias). Outro para gibis, para revistas e para jornais. Deverão ficar em um espaço especial da sala onde as crianças o reconheçam como lugar para ler, viajar, aprender, descobrir, pesquisar, divertir-se e etc.



  • Alfabeto concreto: feito de tnt ou com plástico de pasta catálogo onde para cada letra é colocado um desenho correspondente com a escrita da palavra. Ex: desenho feito pela criança ou imagem de revista de uma azeitona com a palavra AZEITONA. Pode-se dividir as letras do alfabeto entre as crianças e cada uma é responsável por trazer de sua casa um objeto que a inicial comece com aquela letra para colocar no saquinho. Ainda, rótulos ou embalagens. Pode-se também dividir por temas - alfabeto concreto de brinquedos, de alimentos, de animais, de plantas, de utensilios domesticos, de móveis e eletrodomesticos, de titulo de livros, de super-herois, principes, princesas, de dvd, enfim..... tantos outros temas. Deve se ter o cuidado de ter o objeto ou a imagem e a escrita da palavra para que a criança estabeleaça relação entre significado e significante.






























































Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário