quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Construção de Ábacos abertos na turma de 3º ano

Durante as aulas de matemática percebi que grande parte da turma estava com dificuldades na compreensão dos cálculos de subtração de pedir emprestado. De imediato busquei informações com o pessoal da supervisão e com eles encontrei ideias maravilhosas. Entre elas a utilização de um livro paradidático que dispomos em nossa biblioteca. Nele existem variadas ideias de produção de material concreto para auxílio nas atividades matemáticas.
Deste livro, então, tirei a ideia da construção de um ábaco a partir de material reciclável. Mas este não era o pior desafio...pra mim o que o mais difícil era saber como utilizar tal recurso para calcular subtrações com reserva. Afinal em minha trajetória de estudante nunca fiz isso, tão pouco aprendi como usá-lo na faculdade.
Assim, primeiramente, estudei e fiz muitos testes sozinha até que tivesse segurança para ensinar aos meus alunos.

Para montar o ábaco aberto usamos os seguintes materiais:

*Caixa de ovos vazia;

*Argila

*Palitos de churrasquinho

*Tampinhas de garrafa pet (já furadas)

*Papel, cola e canetinha



Aproveitamos a oportunidade para anotarmos no caderno um texto prescritivo da produção do Ábaco com anotações dos materiais necessários e os passos seguidos durante a confecção do trabalho.


Confira algumas imagens:



























terça-feira, 19 de setembro de 2017

HISTÓRIA DO CHURRASCO - Semana Farroupilha!

Sabe quando se trabalha em uma escola "mara" com uma equipe 10!? Então, na Escola Dr. Rui Poester Peixoto, aqui em Rio Grande é assim! Estávamos nos aproximando do 20 de setembro e procurando ideias divertidas e interessantes para comemorar essa data com os alunos. Surgiu o pensamento de montarmos salas temáticas com diferentes oficinas alusivas ao gaúcho. Assim, cada professor escolheu um assunto dentro deste tema e desenvolveram atividades com seus alunos para receberem  visitas das demais turmas. Tivemos oficinas de: Chimarrão, Nó no lenço, Carreteiro de charque, Hino Riograndense, Dança do pezinho, Brincadeiras   gaúchas e a nossa "Churrasco"!
Além das oficinas tivemos a visita de dois gaiteiros, o asteamento da bandeira do estado e a degustação de espetinhos de carne de porco.

Para minha oficina desenvolvi nas minhas turmas (de terceiro e quarto ano) uma pesquisa sobre o churrasco gaúcho. E a partir das pesquisas preparamos:

*Um cartaz com a linha do tempo da história do churrasco (imagens dos homens das cavernas assando carne, imagens dos Padres Jesuítas ensinando os índios assar carne, imagens de tropeiros na época das charqueadas assando costela em fogo de chão e imagens de familiares dos alunos fazendo churrasco)

*Mesa com ítens necessários para o churrasco (carne, sal grosso, lenha/carvão, fósforo, espeto)

*Cartaz sobre os problemas ambientais ocasionados pelo uso do carvão na produção de churrasco e os abusos contra os trabalhadores das carvoarias

*Maquetes de diferentes maneiras de assar carne (Churrasco Humano (canibalismo), Fogo de Chão e Churrasco Enterrado)

*Desenhos do mapa do RS em papel a metro e giz de cera, trabalhando as cores da bandeira

*Mapa do Boi ( com as partes retiradas do corpo do boi para a preparação do churrasco)

*Mesa com doces para visitantes.









Nossas pesquisas se deram a partir dos vídeos disponíveis no you tube:

*A origem do churrasco por André Lima

*O verdadeiro churrasco campeiro (TV Record)

*Kika, De onde vem o fósforo? (episódio 10)

*Kika, De onde vem o sal? (episódio 17)

Boi Bumbá - Um jeito diferente de comemorar as datas juninas!

Olá! Olá! Olá!

Voltando com tudo...Novas postagens! Novas experiências! Doidinha pra compartilhar com vocês o que tenho feito com minhas turmas.

Então! No mês de junho é comum as escolas organizarem festas juninas para comemorar os dias de São João e São Pedro (ainda mais que este último é padroeiro da nossa cidade). Não gosto muito de datas comemorativas e tenho grande dificuldade em planejar com interesse as atividades desse cunho. Mas não tem como fugir ...preciso participar...e mesmo que eu não goste ...as crianças gostam.
Assim fui pesquisar um pouco mais sobre o assunto para evitar fazer novamente uma "dancinha caipira" com uma das músicas já tão conhecidas pela comunidade escolar. Ao fazer algumas leituras percebi que a  festividades juninas não fazerem parte originalmente da região sul e que o que fazemos aqui são apresentações alusivas as grandes quermesses realizadas no nordeste.
Mas e o norte??? Nesta região acontece uma das maiores e mais lindas apresentações artísticas do nosso país. A festa de Parintins, o famoso Boi Bumbá! Minha grande oportunidade de realizar algo diferente. Fiquei muito entusiasmada e lancei a ideia para minhas turmas (atualmente sou regente de uma turma de terceiro ano e outra de quarto). Eles compraram a ideia e montaram comigo uma divertida apresentação.
A turma do quarto ano representou o Boi Caprichoso enquanto o terceiro ano representou o Boi Garantido. Fizemos sorteio para escolher os atores principais da história (Francisco, Esposa de Francisco, Peão, Fazendeiro, Pajé, Boi) e os alunos restantes fizeram papel de índios das duas tribos.
Antes de iniciar os ensaios da dança contei a história pra turma e fizemos vários registros sobre o tema. Um deles foi a fazenda de boizinhos de batata, um dos trabalhos mais apreciados pelas crianças.Mas ainda tivemos a confecção dos Bois de caixa de papelão e os cocares dos índios, tudo produzido com a participação dos alunos. Confira algumas imagens desse projeto!



















sexta-feira, 21 de abril de 2017

Estudos Sociais (Etnias - A construção cultural do Brasil através dos ritmos/Frevo) para turmas do 3° ano.

Gente amada!

Todos os anos precisamos desenvolver atividades relacionadas às diferentes etnias representadas ao longo da história do nosso país. Confesso que me incomodo um pouco com a falta de inovação nos trabalhos que pesquiso sobre o assunto. E já estava cansada das produções que vinha desenvolvendo nos últimos tempos. Então dessa vez optei por montar um portfólio reciclado a partir de uma agenda escolar usada. Este trabalho ainda está em construção e pretendo compartilhar aqui com vcs as novidades.

Para iniciar o tema apresentei aos alunos um pequeno vídeo sobre imigração. (Fico devendo o link)

Em seguida comecei a contar a história do Brasil de maneira bem pontual. Para facilitar o entendimento dos alunos confeccionei um grande cartaz com o mapa do Brasil já dividido em regiões para objetivos futuros.

A medida que ia contando a história ia colando no mapa personagens. O primeiro habitante do território, claro, foi o indígena.


Em seguida falei da chegada das 13 caravelas que trouxeram os portugueses. Após comecei a falar dos imigrantes que chegaram ao Brasil vindos de vários lugares do mundo. Para cada país confeccionei um bonequinho. Dessa forma o mapa ficou completamente preenchido pela diversidade do povo brasileiro...simbolizando as misturas de raças.

Ao compreenderem sobre a imigração os alunos foram percebendo que nosso país foi sendo, ao longos dos anos, constituído por uma vasta variedade de costumes, tendo, portanto, uma cultura riquíssima.
Assim, um dos primeiros aspectos culturais que estudamos foi a influência de cada país nos costumes culinários das nossas regiões. Para esta atividade dividi a turma em grupos (Culinária Africana, Culinária Indígena, Culinária Portuguesa, Culinária Alemã e Italiana). Para a construção dos cartazes de cada grupo entreguei alguns envelopes, dentro de cada um havia letras embaralhadas. Os alunos foram desafiados a montar palavras relacionados aos alimentos prediletos de cada povo, assunto que já havíamos pesquisado em livros e internet. Quando já haviam montado as palavras, eles mesmos fizeram ilustrações para compor os cartazes. 
Para tornar a aula ainda mais interessante combinei de véspera com os pais que cada criança trouxesse um alimento para compor nossa mesa de guloseimas. Confira algumas imagens!














quarta-feira, 12 de abril de 2017

"Palavras que Acrescentam" /Produção de Cartas contra Bullyng

Então!!! Aqui estou para compartilhar com vcs um trabalho que está em andamento na minha turma do terceiro ano. Nas atividades tenho procurado aliar a produção textual, confecção de cartas, estudo de adjetivos  e respeito mútuo para neutralizar o bullyng que tem sido recorrente em nossa escola.


O projeto chama-se "Palavras que acrescentam!"

Introdução: Cada aluno escreveu em uma folha à parte a lista de nomes dos colegas. Dessa forma o aluno tem um controle dos colegas que já receberam uma carta escrita por seu punho. O bjetivo é continuar o projeto até que todos os colegas tenham trocado cartas elogiosas entre si.

Primeira semana:

*Cada aluno foi até a mesa da professora para escolher o nome de um colega para direcionar o trabalho. 

*Em seguida ele deveria observar a aparência física assim como roupas e acessórios que o colega escolhido estivesse usando.

*No caderno deveriam construir uma lista com palavras chave que evidenciasse as caracterísitcas do colega que mais admirassem. Também nesta lista foram acrescentadas caracterísitcas de personalidade dos colegas que fossem positivas.

*Começamos a montagem da carta.  No caderno, em forma de rascunho, escreveram as principais partes da carta (data, saudação, corpo, despedida e assinatura). Para a contrução do corpo da carta orientei os alunos para a produção de 4 parágrafos que ficaram construídos como o exemplo abaixo/;



Rio Grande, 12 de abril de 2017.

Olá colega!


Fulano estou lhe escrevendi essa carta para falar o quento gosto de ti e te admiro. Estamos no início do ano e ainda passaremos muitos dias juntinhos. Por isso, quero que saibas o que mais admiro em ti.
Estava observando a maneira como vieste vestido hoje para escola e achei lindo teu penteado, o "rabico´" que estas usando é muito legal! Também gosto da cor dos teus olhos porque são verdes como as folhas das árvores, e eu amo verde.
Quando estamos  em aula gosto de ver o teu jeito...tu és muito engraçado. Sempre tem resposta esperta pra tudo. E quando a professora faz perguntas tu sempre participas, tu és tão inteligente.
se tu quiser, podemos brincar amanhã na hora do recreio de pega-pega! O que achas?

Abraço

Ciclano


*Após a escrita dos rascunho a professora fez orientação individual corrigindo erros ortográficos, de espaçamento (parágrafos e entre linhas, margem). Em seguida reescreveram e entregaram aos colegas.


Segunda semana:

*Após cada aluno escolher um novo colega para direcionar sua carta e riscar o nome deste colega de sua lista já colada no caderno escrevi no quadro em torno de 30 adjetivos.

*Cada aluno recebeu 6 cartões coloridos  para escrever 6 adjetivos que gostariam de receber como elogio.

*Após colar os cartões no caderno distribuí folhas de ofício com uma árvore desenhada. Dentro da copa da árvore havia uma linha em branco e ao redor dela seis folhas desenhadas em tamanho ampliado, também com uma linha em branco dentro delas.

*Assim, cada aluno escreveu no mei da copa o nome do colega que havia escolhido para entregar a carta e em cada folha deveria escrever os elogios/adjetivos que estavam nos cartões coloridos.

*Após colorir a árvore de maneira caprichada usamos os elogios escritos nela como base para a construção da carta parecida com a anterior.

*As árvores foram penduradas em um mural de TNT com uma grande árvore colorida em tecido. (Confira uma imagem desse dia!





Terceira semana: 

*Desta vez resolvi mostrar pra turma maneiras de se construir um acróstico.

*A partir da palavra PEDRA, com a ajuda dos alunos, contruí no quadro negro um acróstico simples.

Preciosa
Especial
Dura
Rara
Amarela


*Em seguida expliquei que a mesma técnica pode ser construída com frases.

*Como de costume...cada criança escolheu o colega para quem escreveria a carta da semana e em rascunho fizeram as primeiras tentativas.

*Após fazer a correção dos erros ortográficos os alunos reescreveram as cartas e fizeram a ilustração ...confiram algumas imagens.






Em breve posto a continuidade desse trabalho! Deixem as sugestões e críticas nos comentários!






Olá queridos!

Faz muito tempo que não apareço por aqui...e como sempre estava morrendo de saudades!

Atualmente estou trabalhando com 3° e 4 ° anos. E cada turminha tem suas peculiaridades que estão me fazendo repensar minha maneira de trabalhar.

Na turma do terceiro ano tenho um aluno autista! Minha riqueza! Com a parceria da mãe do menino e da maravilhosa monitora tenho vivido muita coisa legal!

A turma do quarto ano tem alunos com idade regular ..."uns docinhos"!

Em breve contarei algumas coisinhas que tenho trabalhado com eles!


Bjuuuu

Até mais!

sábado, 1 de outubro de 2016

"Teu lixo é problema meu!"

Olá pessoal!!! Noooossa ....quanto tempo! Já estava com saudades de publicar minhas experiencias!
Vou compartilhar com voces um projeto que finalizei essa semana com minha turminha de 4° ano na cidade de Rio Grande/RS.



Tudo começou com a leitura de um texto de um jornal local. Confira no link abaixo:

 local. http://www.calameo.com/read/0003379755d1f02992b65

As crianças ficaram interessadas no assunto e resolvi dar atenção especial as curiosidades sobre o tema. E foi maravilhoso. Em seguida lembrei de um livro que havia em nosso acervo pessoal:



Trata-se da história de algumas embalagens que estão em uma cidade em que os moradores não dãoa tenção a reciclagem. As embalagens estão insatisfeitas, não querem mais ir apodrecer nos lixões e resolvem criar vida e pedir ajuda a um menino para despertar nos moradores a consciencia ambiental. O  texto é escrito em falas para teatro. 
Foi dessa leitura que tivemos a ideia de reescrever esse texto para preparar uma peça teatral para os colegas da escola.

Montamos um novo texto, confeccionamos os fantoches de material reciclado.



Para intervir em nossa comunidade, assim como propõe a história, resolvemos fazer escalas de limpeza do pátio da escola após os momentos de recreio. Todos os dias, uma dupla de alunos ia até o pátio da escola para recolher o lixo que os colegas teimavam em jogar no chão mesmo havendo muitas lixeiras espalhadas ali mesmo.
Dessa maneira nossa turma ia tentando concientizar os colegas de outras classes a cuidar do ambiente da escola.

Além disso, através de pesquisa descobrimos que a prefeitura da  cidade dispõe a coleta seletiva semanal em todos os bairros. Ligamos para a secretaria e agendamos o recolhimento em nossa  escola. assim, uma vez por semana as crianças traziam para a escola o lixo limpo de suas casas para enviar a coleta municipal. Faziamos a separação dos materiais em nossas aulas de ciencias. 


Desses materiais recolhemos a matéria prima para a confecção de artesanatos (utilidades, brinquedos e peças decorativas) e fizemos uma exposição de arte!







Após tantas pesquisas e o aprendizado das diferenças de lixões, aterro controlado e aterro sanitário as crianças queria saber qual desses funcionava em nossa cidade. Então fizemos uma visita ao aterro sanitário municipal. 


Para finalizar nossas atividades organizamos uma palestra sensibilizadora para as famílias sobre o tema. Mostramos vídeos, falamos de nossas experiencias, apresentamos a peça de teatro e expomos nosso artesanato. 



Cada família recebeu de presente uma lixeira confeccionada a partir de caixa de papelão e saco de lixo. Dela não tenho imagens porque esqueci de fotografar!